Polícia indicia pai de crianças que morreram afogadas em Faxinal por homicídio culposo

A Polícia Civil de Faxinal, no Vale do Ivaí, concluiu o inquérito sobre o acidente que acabou com a morte de três crianças por afogamento. A tragédia aconteceu no dia 28 de maio, época em que o estado do Paraná foi castigado com fortes chuvas, após o carro da família ser levado pela correnteza enquanto passava por uma ponte.

O delegado Ricardo Mendes pediu o indiciamento de Gilson Taborda, pai das crianças, por três homicídios culposos, quando não há intenção de matar. Apesar da mãe das vítimas, Patrícia Pontes, estar presente no momento, ela não foi indiciada por não estar dirigindo o veículo.

Pais prestam depoimentos

Durante os depoimentos, segundo o delegado, os pais informaram que, como era um dia de chuva, não tinha o que fazer no sítio onde eles moravam. Assim, decidiram ir para a cidade por uma ponte que ainda não estava interditada. De acordo com relatos do pai para a polícia, carros ainda estavam passando pela ponte, o que o encorajou a passar pelo local.

Sobre o acidente em si, o pai não sabia relatar se ele acabou errando o acesso a ponte, fazendo com o carro caísse no rio, ou se o veículo acabou aquaplanando durante a travessia. No momento em que o carro já estava no rio, eles acreditavam que pararia em uma cerca próxima, o que não aconteceu, fazendo com que a parte da frente do automóvel afundasse rapidamente, não dando tempo de tirar as crianças de dentro.

Os corpos das crianças foram encontrados um dia após o acidente, em um riacho na zona rural de Faxinal.